Dicas para você aprender CRASE e não errar acentuação em concursos públicos




Por crase entende-se a fusão de dois sons vogais idênticos.

Exemplo: Bateram à porta.

Deu- se, aqui, a fusão da preposição a com o artigo a.

Emprego da crase

Sendo o a craseado uma resultante da fusão da preposição a com o artigo feminino a, daí se interferem três conclusões lógicas:

1-    1- A crase só se pode empregar diante de substantivos do gênero feminino.

2-    Sendo a crase combinação da preposição com o artigo, logicamente, só o substantivo que admita artigo poderá vir precedido de crase.

3-    Não pode haver crase diante de palavras ou expressões que sirvam de sujeito e objeto direito, uma vez que estes elementos não podem ser regidos de preposição.

 

Exemplos: Vou à cidade

                  Vou à Europa

                  Obedeça às minhas ordens.

                  Respondi à carta dele

                  Ele faltou à aula

                  Ela foi à Bahia

Estes exemplos exigem a crase porque preenchem as condições dos itens 1 e 2.

Vejamos, agora, as frases seguintes:

Vou a Santa Catarina

Ele foi a Roma

Ela foi a Minas

Dei um passeio a cavalo

João estava a cantar.

Nestas frases, a crase não é admissível por não ocorrerem as condições nem do item 1 e nem do item 2.

Com efeito, Santa Catarina, Roma, Minas, não admitem o artigo quando empregados como sujeitos. Ninguém diz: A Santa Catarina é um belo Estado; A Roma é a capital da Itália; A Minas é um Estado central.

Quanto aos dois últimos exemplos, é adequado que, sendo um masculino, cavalo, e outro, verbo estão inclusos no item 1.

Entretanto, se o nome da cidade, Estado ou país vier determinado, pode empregar-se a crase:

Vou à Roma dos Césares

Vou à Minas de Tiradentes


A crase pode ocorrer, ainda, antes de locuções indicativas de horas.

Exemplo: Às duas horas começaremos a estudar.


Postar comentário

Deixe seu comentário ou sugestão. Sua opinião é muito importante para nós.